Princípios e Propósito da Vedanta - (Part 4)

Centro Ramakrishna Vedanta - BH
08.04.22 07:49 PM Comment(s)

​ Princípios e Propósito da Vedanta - (Part 4) 


Swami Paramananda (1884-1940), um discípulo de Swami Vivekananda, foi um dos pioneiros na divulgação da Vedanta no Ocidente

 Este texto é tradução do original em Inglês “Principles and Purpose of Vedanta” edição de 1910

Yoga - 


A parte prática do ensinamento da Vedanta é chamada Yoga, que literalmente significa “juntar” ou união entre o ser inferior e o Ser Supremo. Ela oferece certos métodos para o treinamento da mente e do corpo para torna-los instrumentos adequados para a manifestação da perfeição já existente em todos os seres. Quando o limitado homem aparente descobre seu Ser interno ilimitado e se une com ele, torna-se iluminado. Jesus expressa a mesma ideia quando fala da “comunhão com Deus”. Este método de comunhão com o Divino é o que significa Yoga. Não há nenhum mistério nela, como muitos supõem. É uma ciência inteiramente baseada na observação e experiência direta de Yogis perfeitos, ou almas iluminadas, e é um sistema lógico e claro para o desenvolvimento de nossa natureza espiritual. Ela nos ensina como cessar de desperdiçar nossas energias desnecessariamente e como usá-las corretamente para nosso maior bem. Seu principal objetivo é unir todas as nossas forças físicas e mentais em uma forte corrente, que nos levará à realização do Supremo. A Yoga está dividida em quatro principais caminhos adequados aos diferentes temperamentos:

Karma Yoga -


Karma Yoga é o caminho da ação e nos ensina como executar todos os nossos deveres sem criarmos apego e dependência. A atividade é uma tendência inerente em todos os seres vivos, mas aprender a dirigi-la através do canal apropriado sem desperdício é a meta da Karma Yoga. Um seguidor fiel deste caminho trabalha como os outros, mas abandona todo o apego e desejo egoísta, portanto evita reação e sofrimento. Seu ideal é trabalhar pelo amor ao trabalho, sem qualquer outro motivo. Se um bom resultado (da sua ação) chega, ele não toma para si o crédito por isto, nem toma sobre si mesmo o descrédito se fracassar; mas oferece todos os frutos de suas ações, boas ou más, ao Senhor, que é o verdadeiro Autor de toda ação. Este é o segredo ensinado por Sri Krishna no Gita quando Ele diz: “Ao trabalho tu tens direito, mas não aos seus frutos.” Aquele que conhece este segredo, para ele todas as ações se tornam um ato de adoração e o conduz à Suprema Realização.

Raja Yoga - 


A Raja Yoga nos ensina como controlar nossa natureza interna e externa. O primeiro passo é governar as forças que se manifestam através de nosso corpo físico e focalizá-las de forma única. Com isto nós conseguimos equilíbrio correto ou saúde perfeita em nossa natureza exterior. Saúde é absolutamente necessária para nosso crescimento espiritual, pois o corpo é o instrumento para a manifestação do espírito e se não estiver em condição apropriada, torna-se um obstáculo. Por isso os Yogis prescreveram certas posturas e métodos de respiração, através dos quais podemos purificar nosso sistema e prevenir doenças. 


O próximo e mais importante passo é controlar nossa mente e sentidos, nossa natureza interna. Isto é feito através da prática da concentração e meditação. O estudo de Raja Yoga gradualmente nos conduz assim, das forças mais grosseiras às forças mais sutis de nosso organismo e nos mostra como trazê-las sob nosso controle e uni-las em uma única energia concentrada. O propósito disto, contudo, não é meramente conseguir saúde ou poder psíquico, mas ganhar absoluto autodomínio.

Bhakti Yoga -


Bhakti Yoga é o caminho do amor e da devoção. É o caminho mais natural para ser seguido, pois todos temos amor em nossos corações. Enquanto este amor for entregue às coisas mutáveis e efêmeras deste mundo, causará desapontamento, sofrimento e escravidão para nós. Mas quando ele é retirado destas coisas e voltado para Deus, então ele se torna Bhakti. Assim Bhakti Yoga nos ensina como podemos dirigir toda nossa emoção e sentimentos ao Supremo, que é a fonte de toda beleza e bem-aventurança. Visto que Ele é o Ser Único e Imutável, nele apenas podemos encontrar felicidade constante. Portanto Bhakti significa devoção a Deus; apego a qualquer objeto do mundo não é Bhakti. Este amor ideal é quase inconcebível enquanto houver sede por dinheiro, nome, fama, poder, ou prazeres sensórios; mas quando todo traço de egoísmo ou desejo mundano for apagado, realizamos que nada externo ou transitório pode satisfazer a fome de nosso coração e que Ele é o único objeto digno de ser amado. 


Para um devoto Deus não é uma mera teoria ou ideal abstrato, mas um Ser real e vivo, com quem ele conversa intimamente e com quem tem uma relação definida, como filho, ou amigo, ou servo. Todas estas relações são estabelecidas para que possamos sentir que temos um direito sobre Deus e um sentido de proximidade com Ele. O amor tem um maravilhoso poder de união e quando este amor surge no coração do devoto ele sente o contato direto com o Ideal e todos os seus pensamentos, palavras e ações são oferecidas como um serviço ao Bem-amado.

Jnana Yoga - 


Jnana Yoga é o caminho do discernimento filosófico e é especialmente adequado para aqueles de tendência intelectual. Sua meta é encontrar o espirito luminoso no interior, pois o Jnani não aceita qualquer outro Deus além de seu próprio Ser, que é o Ser de tudo. Isto é realizado pelo processo de “Neti, Neti” (Isto não, Isto não), ou distinguindo o real do irreal, o verdadeiro do falso. Para encontrar este ego cósmico ou Ser universal, ele primeiro remove todo egoísmo limitado, diferenciando-se do corpo, mente, sentidos e todos os objetos grosseiros deste mundo perecível. Isto pode ser feito apenas pela constante e rígida negação do ser inferior, mas aquele que persevera com anelo e determinação deixará gradualmente para trás de si todas as irrealidades do universo fenomenal e encontrará em seu interior seu verdadeiro Ser. Então será capaz de declarar com convicção “Eu sou Ele”, “Eu sou a Verdade”, “Eu sou o Absoluto Brahman”, “Eu e meu Pai somos Um”.


Isto não necessariamente significa que havendo quatro métodos distintos, não podemos combiná-los todos em nossa prática da Yoga. Nenhum caráter é perfeito na falta de algum destes. De fato, não podemos seguir um (Yoga) com sucesso sem a ajuda dos outros. Ninguém poderá ser um verdadeiro trabalhador sem discernimento, autocontrole e devoção a seu trabalho. Nem poderá alguém se tornar um verdadeiro seguidor do caminho do amor sem possuir uma atividade corretamente dirigida, um julgamento correto e autocontrole. Portanto todos estes devem seguir de mãos dadas. Mas em cada caráter uma tendência predomina invariavelmente e isto determina o caminho especial. Mas devemos ter em mente que todos estes caminhos levam a mesma meta.